Como participar de um Grupo de Consórcios

Publicado em: 28/05/2010

O consórcio nada mais é do que a formação de um grupo de pessoas físicas ou jurídicas que se juntam para adquirir um bem. Trata-se de um autofinanciamento: a cada 30 dias os participantes são obrigados a desembolsar um valor previamente combinado, acrescido de taxa de administração, que gira em torno de 3,12% ao ano, além de seguro e fundo de reserva, estes últimos opcionais. Um dos participantes é necessariamente sorteado no fim de cada mês.

O restante fica esperando sua vez, quem escolhe o consórcio não sai com a chave do carro na mão. Na verdade, o cliente pode esperar um bom tempo até levá-lo para a garagem. O prazo médio para grupos de veículos leves é de 60 meses.

Para ser sorteado no início da empreitada, é preciso contar, sobretudo, com uma dose de sorte. Por isso, esta não é a melhor opção para quem precisa do bem imediatamente. Segundo a Pro Teste, para a aquisição de um carro de 30.000 reais, por exemplo, só vale a pena entrar em um consórcio se o sorteio acontecer até o 44º mês. Depois disso, é menos dispendioso depositar o valor da parcela em um fundo de renda fixa ou poupança e quitar o carro integralmente quando o dinheiro poupado for suficiente.

Para Paulo Roberto Rossi, presidente da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac), a existência do grupo é uma forma do cliente não se esquivar da obrigação mensal de economizar. "Pelas milhões de cadernetas de poupança inativas que existem, vemos que a pessoa chega no meio do caminho e para.

O consórcio é uma poupança carimbada, forçada, em que o consumidor também oferece um lance se tiver uma reserva financeira, abreviando sua permanência no grupo", afirma. Quando os consórcios têm saldo de caixa, os participantes podem fazer ofertas para levar o veículo sem esperar pelo sorteio. O dinheiro de um lance perdedor é devolvido ao consorciado. O vencedor abate o valor ofertado das prestações seguintes, liquidando as últimas parcelas ou diminuindo o custo de cada uma.

Caso seja contemplado, o cliente conta com o trunfo de poder comprar o veículo à vista, bastando para isso apresentar a carta de crédito na concessionária e negociar um preço mais atraente. Não há incidência de IOF tampouco pagamento de juros mensais. Outra vantagem é que se o participante quiser sair do grupo, os recursos investidos até então serão devolvidos no momento em que ele for sorteado.


Veja mais notícias